O TUDO COOPERA! TEM O MAIOR PRAZER EM RECEBER SUA VISITA, ESPERO, DE ALGUMA FORMA, SOMAR COM VOCÊ QUE É SEMPRE MUITO BEM VINDO. VOLTE SEMPRE!

O blog tem este nome porque, eu realmente creio que tudo que acontece, bom ou ruim, acaba contribuindo para o bem, para o crescimento, o amadurecimento, de quem se deixa moldar dentro do processo. Mesmo que na hora não se perceba tal coisa.

domingo, fevereiro 03, 2013

Relacionando






Gosto das páginas de relacionamento. Ao ter um perfil, tenho como objetivo interagir. Gosto de gente. Aprecio as diferenças.
O meu jeito de ser, não me permite, (nem quero), ser diferente no mundo virtual, do que sou no real. Transparência e sinceridade estão presentes. Mesmo quando incompreendida nos dois mundos.
Tem pessoas que estão bem pertinho, depois outras no próximo círculo e assim sucessivamente, até aquelas pessoas que fazem parte da sua vida, porque de quando em quando, você as vê.
Real e Virtual são assim.
Busco me relacionar nas redes sociais.
Alguém dirá: "Óbvio!".
Não penso ser assim tão "óbvio".
Relacionar é bem diferente de ter seguidores, além dos motivos que levam a estabelecer as relações.
Bom dia, boa tarde, e/ou boa noite, faz parte dos relacionamentos, que, devido a tantos ocorridos, podem começar mais tímidos que na vida real, onde a insegurança, na verdade, é grande também.
Afinal, quem está do outro lado?
É confiável?
Posso falar abertamente com esta pessoa?
Desejo tê-la num círculo bem próximo, ou mais distante?
Não tem como sentir a pessoa pelo olhar, (janela da alma),
pelo tom da voz, (estressado, tranquilo, autoritário,...)
cheiro da pele, pelo som do riso fácil, ou gargalhada estrondosa, espirro engraçado. Acessível ou inacessível? Naturalmente que ter equilíbrio e bom senso é importante nos dois mundos.
É claro que pelo estilo dos posts pode-se fazer uma ideia da pessoa, mas, se se equivoca no real, provavelmente ainda mais no virtual.
Tem um lado bom também. Você pode se achegar a alguém que, na vida real, não teria chance de estabelecer amizade, por muitos e  variados motivos.
Se tem algo que é imprescindível, para todo tipo de relacionamento, é o respeito. Quem respeita é respeitado.
Minha maneira de pensar, para assim agir, é a seguinte:
Amo, temo e sirvo a Deus, que mesmo sendo Deus (onipotente, onipresente, onisciente, eterno, imutável) e tendo total presciência de tudo,  deu liberdade de escolha  ao ser humano, sem deixar de amá-lo.
Procuro respeitar o outro e sua liberdade de escolhas sem rotulá-lo. Não tenho que concordar com todos, nem com tudo. Assim como também não têm que concordar em tudo comigo. Estas coisas que parecem tão evidentes, na prática, sempre deixam a desejar. Há uma mistura de sentimentos com ideias e ideais. Há até mesmo quem agrida o outro por discordar dele. Ninguém concorda 100% com ninguém. A individualidade impede isto. Muitas vezes a discordância trás crescimento, por fazer pensar, ver as coisas sob a perspectiva do outro. É preciso buscar entender para discordar.
Procuro ser bem coerente, ortodoxia e práxis, na minha vida.
Se eu der bom dia para o vento, e, pensar/ouvir a resposta, continuarei a fazê-lo. Mesmo que só eu o ouça. Mas, se eu cumprimentá-lo, e nunca me responder, naturalmente deixarei de fazê-lo. É que sou uma doida sã. Embora a poesia habite minha alma, a praticidade costuma se impor, e a autopreservação grita a plenos pulmões. Afinal, dar murros em ponta de faca, definitivamente não é meu estilo. Sou tranquila, apenas vivo e deixo viver.
Sou seguidora é do Senhor Jesus Cristo, no mais, me relaciono. Ou não!

Com carinho, 
               Lúcia Barros.