O TUDO COOPERA! TEM O MAIOR PRAZER EM RECEBER SUA VISITA, ESPERO, DE ALGUMA FORMA, SOMAR COM VOCÊ QUE É SEMPRE MUITO BEM VINDO. VOLTE SEMPRE!

O blog tem este nome porque, eu realmente creio que tudo que acontece, bom ou ruim, acaba contribuindo para o bem, para o crescimento, o amadurecimento, de quem se deixa moldar dentro do processo. Mesmo que na hora não se perceba tal coisa.

segunda-feira, junho 05, 2017

Um Grito de Liberdade









 Um Grito de Liberdade


Excelente filme baseado em fatos.


Já assistiu? Não!? RECOMENDO!


O filme conta um pouco da dolorosa História da segregação racial na África do Sul.


Um jornalista branco, Donald Woods (Kevin Kline) e um ativista negro, Steve Biko, (Denzel Washington) se tornam amigos, na década de 70, quando o sistema do apartheid, a separação imposta entre brancos e negros pelo governo,  com implacável injustiça social, era questionado e a busca pela igualdade ganhava força. A perseguição aos cidadãos negros (90% da população) foi intensificada, resultando em muitas prisões arbitrárias e mortes, em meio aos conflitos.


Primeiras palavras entre Donald e Biko, onde nasce uma amizade que ultrapassa a morte, gerada pelo ideal de igualdade entre os homens que proporcionasse um país com mais oportunidades justas para todos. 

 


Biko | Acho apenas que um liberal branco, que usufrui de todas as vantagens de seu mundo branco, com emprego, moradia, educação e Mercedes, talvez não seja a pessoa ideal para dizer aos negros como reagirem ao apartheid.
Woods | Me pergunto, que tipo de liberal você seria, Sr. Biko, caso fosse aquele com emprego, casa, moradia e Mercedes e os brancos vivessem em assentamentos.
Biko | É uma ideia interessante... Que bom que veio, Sr. Woods. Há tempo que queria conhecê-lo.


 


Emocionante!


E também horripilante!


Horrível ver na tela as condições impostas a seres humanos por causa da sua cor, sendo tratados como inferiores. Horrível ver a sociedade tirar das pessoas sua dignidade, sua liberdade, sua cultura, sua vida, sob muitos aspectos. A opressão e violência para fazer com que se sentissem e se soubessem inferiores. Tudo devidamente legalizado, normatizado.


Horrível o domínio do homem sobre o homem em qualquer circunstância, mas, pior ainda, dentro do seu próprio país, lugar onde deveria sentir-se seguro e honrado.


Horrível constatar na História  como podemos ser desumanos. Pior ainda, constatar hoje, na Pós-Modernidade, condições semelhantes para muitos em muitos lugares. A exploração continua. A ideia de superioridade de uma Pessoa Humana sobre outra continua encontrando ecos de normalidade, a exclusão e/ou agressão ao diferente continuam. Mesmo com a pregação do ‘politicamente correto’, o incorreto, a desigualdade,  o desumano continuam, lamentavelmente, imperando em muitas esferas.


Mas... Como é estupendo!


Em meio ao horror imposto, a Humanidade sobressai de forma maravilhosa, encantadora, como uma leve brisa, uma tênue luz, a dizer que sim, podemos ser melhores! Sim! Há esperança para a Humanidade! Isso é fascinante! Há a possibilidade de escolha. E, graças a Deus, há os que escolhem com sensatez a Humanidade. É essa capacidade maravilhosa da Humanidade que me encanta! É a superação de o próprio ser, para SER! Isso é tremendo! Isso faz a História mudar. Isso faz a vida ser Vida e a busca da Irmandade valer a pena.


Então é EMOCIONANTE!


É emocionante ver que há pessoas humanas que sabem que cor não define ninguém. Não desmerece ninguém. Não separa quem sabe que, SIM, somos todos iguais! Não há superioridade de raça, cor, status, cultura, etc. Que há sim, desconhecimento do outro, que há manipulação de informação e desinformação.


É emocionante ver que a opressão e violência contra um povo podem fazê-lo despertar e lutar. Que a morte de um líder idealista, não é a morte de seu ideal. Ao contrário, pode despertar ainda mais pessoas para lutar por este mesmo ideal que queriam matar.


É emocionante ver a autoestima de um povo sendo trabalhada por Biko  ao dizer “NEGRO É LINDO!” , para conscientizar a todos do seu valor como Pessoa. Ver a inteligência, capacidade e carisma de um homem levá-lo a ser considerado perigoso, exatamente pelo que é, e, nem por isso desistir. Ao contrário, morrer!


Convido você a se emocionar, crescer, aprender, superar, chorar, indignar, através desta história que é somente uma parte da História de um belo, sofrido e grandioso povo.

 

 


RESUMO

 


Donald Woods (Kevin Kline) é editor chefe no jornal liberal Daily Dispatch na África do Sul. Ele tem escrito diversas críticas sobre a visão de Steve Biko (Denzel Washington) - militante negro que lutou contra o apartheid. Mas depois de conhecer Biko pessoalmente, ele muda de opinião. Eles passam a se encontram diversas vezes e isso significa que Woods e sua família começam a receber uma atenção especial da polícia. Quando Biko morre na prisão, Woods escreve uma biografia do militante e amigo. Entretanto, a única forma de ter seu livro publicado é saindo do país, uma aventura que põe sua vida e de sua família em risco.

 


FICHA TÉCNICA


País de origem: Reino Unido
Ano: 1987
Direção: Richard Attenborough
Produção: Richard Attenborough
Roteiro: baseado nos livros "Biko" e "Asking for trouble", de Donald Woods
Fotografia: Ronnie Taylor
Música: George Fenton e Jonas Gwangwa
Elenco: Kevin Kline, Penelope Wilton, Denzel Washington


Curiosidades: - Segundo o diretor, Richard Attenborough, alguns dos integrantes do elenco são exilados da África do Sul.


- Este filme pertence a uma coletânea de imagens filmadas por um grupo de jornalistas que cobriu a guerra da África do Sul, nos anos 1980.